VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Niyama

Sobre papéis em branco: uma anedota sobre colher o que se planta

Neste fim de ano, pense sobre o que você está jogando no mundo.

* Agradecimento especial à colega e amiga Débora Ertel, que ajudou a espalhar esta bela história.
falei aqui no blog sobre karma e sobre colher o que se planta. Na terça-feira, ao fazer uma reflexão sobre conflitos familiares e final do ano, durante a gravação do podcast Mente Viva, surgiu novamente o assunto do que, exatamente, estamos jogando no mundo. Ao falar, nossas palavras confortam ou envenenam? Ao agir, ajudamo-nos a evoluir ou arrastamos as pessoas para baixo? 
Ouvi uma história linda, que conta o seguinte: na escola, a professora resolveu fazer uma reflexão com os alunos. Pediu que eles escrevessem em um papel o nome do colega de quem não gostavam e colocassem em uma caixinha. Quando ela abriu a caixa, ficou assustada, pois viu ali muitos nomes. No entanto, um papel estava em branco.
Papel em branco
"Quem foi que não colocou nada no papel?", perguntou. Uma menina levantou a mão.
Ao observar a caixa novamente, a professora percebeu que não somente a aluna em questão não havia escrito o nome de colegas, mas o seu nome era, também, o único que não estava no papel de ninguém. 
É claro que não precisamos simpatizar com todas as pessoas ou mesmo sermos simpáticos todo o tempo. Aliás, entrar em contato com os nossos sentimentos negativos, ao invés de enterrá-los ou fingir que eles não estão lá, é essencial. Só que há uma diferença entre senti-los e espalhar a negatividade e o ódio por aí. 
Neste fim de ano, espalhe o amor. Foi um 2016 intenso. Complicado, violento e repleto de tensões nos mais diversos âmbitos. Mesmo assim, nem tudo foi ruim. Faça uma lista das coisas positivas que aconteceram no seu ano! Doe-se! Ao invés de presentes, se tiver disponibilidade, dê seu tempo, sua atenção. Aproveite aquele papel em branco para escrever coisas boas. E faça a sua parte para que 2017 seja melhor - nas suas relações, na sua vida profissional, na sua comunidade, na cidade, no estado, no País e no mundo. :) 
Um ótimo final de ano!
Namaste! _/\_

Reequilibre-se ouvindo o seu corpo

Vata, pitta ou kapha? Veja alguns sintomas de equilíbrios ou desequilíbrios para o seu biotipo segundo o ayurveda e confira dicas para reequilibrá-lo.

O corpo fala. O problema é que quase nunca paramos para escutá-lo. É essencial que tenhamos cuidado com nós mesmos - corpo, mente e espírito - e, por mais óbvio que possa parecer, poucas pessoas dão a eles a atenção que merecem (e precisam).
Culturalmente, o cuidado conosco e o desenvolvimento da autoconsciência não são tão incentivados. Muitas vezes, somos condicionados a pensar que virar o foco para dentro ou passar a tomar decisões e atitudes que nos colocam - e à nossa saúde - em primeiro lugar significa que somos egoístas e indulgentes. Na realidade, se não nos cuidarmos, e ficarmos "vazios", de alguma forma, ou doentes, não poderemos exercer ou expressar inteiramente amor, criatividade ou alegria.
Meditação
Segundo o Ayurveda, as pessoas podem se encaixar em um ou mais entre três biotipos: Vata, Pitta e Kapha. Eles são chamados de doshas e são derivados dos cinco elementos: éter, ar, terra, água e fogo. Vata é éter e ar; Pitta é fogo e água e Kapha é terra e água. Os biotipos reúnem características físicas, emocionais e mentais. Tradicionalmente, costuma-se ter um dosha dominante, um segundo dosha mais atuante e o dosha que está menos presente na sua fisiologia mente-corpo.
Tendo a mente, o corpo e o ambiente em que estamos em equilíbrio, estamos saudáveis. A ideia é poder transformar nosso ambiente e nossas escolhas de estilo de vida e alimentação de forma que possam condizer com nosso biotipo. Ao perceber sinais de desequilíbrio, é possível trabalhar para que os doshas voltem a estar em harmonia.
Um sinal de desequilíbrio comum são explosões muito frequentes de raiva. Muitas vezes, há tanta coisa não-resolvida do lado de dentro que elas acabam transbordando em quem estiver pela frente, seja um desconhecido, um familiar, cônjuge ou amigo. Abaixo, você pode fazer um teste simples para descobrir qual é seu dosha e conferir sinais de desequilíbrio e como reequilibrar-se em cada um deles.
"Se você acha que algo está faltando na sua vida, provavelmente é você mesmo." - Robert Holden
DESCUBRA QUAL É O SEU DOSHA. No teste, responda às perguntas (em inglês, use um tradutor online se precisar), tendo em mente padrões que podem ser considerados verdadeiros durante toda a sua vida. Se você desenvolveu alguma doença ou condição na infância ou na vida adulta, por exemplo, pense em como as coisas eram antes disso. Se mais de uma opção parecer verdadeira, escolha a que se aplica mais a você. No caso de aspectos físicos, as respostas podem ser mais óbvias. Os mentais e de comportamento são mais subjetivas, por isso, você deve responder de acordo com o que sentiu e agiu na maior parte da sua vida, ou, pelo menos, nos últimos anos.
KAPHA | Mexa-se!
Kapha
Quando desequilibrada, a pessoa que tem Kapha como dosha predominante sente-se:
- Letárgica;
- Apática;
- Aborrecida;
- Cansada;
- Isolada;
- Deprimida;
- Teimosa;
- Apegada demais a posses ou relacionamentos;
- Presa;
- Insegura
Quando equilibrada, sente-se:
- Calma;
- Relaxada;
- Tolerante;
- Capaz de perdoar;
- Afetuosa;
- Estável;
- Enraizada;
- Contente;
- Leal;
- Acalentadora;
- Devota;
- Paciente;
- Em paz;
- Empática;
- Receptiva;
- Com compaixão.
Para equilibrar-se, Kapha precisa de estímulo e movimento, de novas experiências, pessoas e eventos. Também precisam de exercício todos os dias, porque, sem ele, podem se tornar preguiçosos e aborrecidos. As pessoas Kapha entram e saem de equilíbrio de forma lenta, então é importante ser firme para manter esse dosha equilibrado. Algumas dicas:
- Diga sim para a variedade: as pessoas Kapha precisam fazer um esforço consciente para buscar novas experiências. Por sua natureza sólida e ligada à terra, a tendência a ficar preso e estagnar é grande, o que pode levar à depressão e outros problemas de saúde. Procurando a variedade, você pode incentivar sua paixão e canalizar sua força em maneiras que ajudam a expandir alegria e amor. Se você passou muito tempo na inércia, pode começar devagar, como tomar um caminho diferente para ir para o trabalho ou aceitar um convite que você normalmente recusaria. Também é possível dar um salto em direção ao desconhecido, como marcar uma viagem para um novo local ou se inscrever em alguma aula que você, talvez, normalmente, não faria. Experimente e veja o que é melhor para você. Lembre-se de que o que torna a vida estimulante não é o externo, mas a fagulha de percepção dentro de você. Conforme sua percepção se expandir, você deixa velhos condicionamentos irem embora, que fazem você dar demais, apegar-se demais ou limitar suas possibilidades. A meditação pode ser uma ferramenta poderosa para limpar as janelas da percepção e abrir-se para novos níveis. Ela ajuda kaphas a descobrir a atenção nata que possuem e experienciarem a leveza de ser.
- Faça exercícios todos os dias: a atividade física é uma das melhores maneiras de evitar a estagnação e o surgimento de toxinas no corpo. Já que Kaphas têm uma tendência à letargia e ao ganho de peso, é especialmente importante fazer exercícios regularmente e manter a energia funcionando. Os Kaphas possuem uma energia e resistência naturais e podem fazer vários esportes de alta intensidade. Faça exercícios que você goste e que se tornem parte da sua rotina diária. No começo, você pode sentir alguma resistência, mas se passar a se exercitar de forma regular, vai descobrir que anseia pela oportunidade de se mover, respirar e botar para fora a tensão do dia.
- Mantenha uma alimentação boa. Há uma tendência de ganhar peso para os Kaphas, por isso, é importante comer regularmente, alimentações balanceadas e não exagerar. O ayurveda recomenda que os Kaphas comam mais alimentos secos e com sabor adstringente ou picante, minimizando alimentos doces. Maçãs, torradas secas, cúrcuma e vários vegetais crus ajudam a prevenir o excesso de peso em Kapha e favorecem o sistema digestivo. Experimente tomar chá de gengibre quente com suas refeições para ajudar a aguçar as papilas gustativas. Comer uma colher de sementes de funcho inteiras depois de uma refeição também ajuda na digestão. Você pode mastigar as sementes como se fossem balas de menta.
- Mantenha-se aquecido e evite umidade. Kaphas são muito sensíveis a condições frias e úmidas, então prefira ambientes aquecidos e secos. Cuidado para não expor seu nariz, garganta e pulmões ao ar frio do inverno. Aqueça seu peito e use uma bolsa de água quente ou almofada aquecedora nas costas para ajudar. Para melhorar a congestão ou uma garganta inflamada, faça um chá quente fervendo um quarto de colher de chá de gengibre e cúrcuma em um copo de água.
- Concentre-se na alegria. Quando Kapha está desequilibrado, sente-se deprimido e aborrecido. Ao invés de afundar-se nessa linha de pensamentos, foque sua atenção na alegria. Pergunte-se: "o que me traz alegria?". Faça uma lista de experiências que enchem seu coração, como ler um bom livro perto de uma lareira, pintar um quadro, conversar com alguém amado, sentir o aroma de plantas, aprender algo novo ou simplesmente estar. Continue acrescentando coisas à sua lista conforme sua percepção se expande e escolha pelo menos um desses itens para experienciar todos os dias.
VATA | Encontre seu ritmo!
Vata
Quando desequilibrada, a pessoa que tem Vata como dosha predominante sente-se:
- Ansiosa;
- Inquieta;
- Deprimida;
- Sobrecarregada;
- Indecisa;
- Sem conseguir se focar;
- Impaciente;
- Impulsiva;
- Desatenta;
- Autocrítica;
- Exausta;
Quando equilibrada, sente-se:
- Feliz;
- Entusiasmada;
- Cheia de energia;
- Flexível;
- Criativa;
- Adaptável;
- Aberta;
- Espontânea;
- Motivada;
- Inteligente;
- Vibrante;
- Vivaz;
- Sensível;
- Resiliente;
- Alegre;
Vatas adoram empolgação e variedade, mas podem se tornar estimulados demais e cansados. Ao invés de comer, dormir e exercitar-se regularmente, vatas desequilibrados comem rápido, pulam refeições, se exercitam irregularmente e vão dormir em horários estranhos. O caminho para o reequilíbrio é manter hábitos balanceados, prestar mais atenção a ritmo e regularidade todos os dias. Algumas dicas:
- Descanse bastante. Sono renovador abundante é muito importante para Vatas. É importante ir dormir e levantar na mesma hora todos os dias. Essa regularidade na sua rotina de sono ajuda você a adormecer e manter-se dormindo, permitindo o descanso amplo que você precisa. Quando sentir que está se forçando demais ou fazendo demais alguma atividade, seja física ou mental, pare e descanse por cinco minutos. A melhor forma de descansar, além de dormir, é a meditação. Quando você medita, seu ritmo cardíaco e a respiração ficam mais lentos enquanto seu corpo inicia um processo de autocura. Vata é o dosha que mais se beneficia da meditação. Depois de passar alguns minutos em silêncio interior, o Vata emerge sentindo-se ajustado e renovado. 
- Comece seu dia com uma automassagem. Quando acordar, massageie seu corpo com óleo morno de gergelim ou algum outro óleo que regule Vata. No Ayurveda, essa prática é conhecida como auto-Abhyanga, e funciona particularmente bem para Vatas, que costumam ser secos e frios. 
- Tenha uma alimentação balanceada para Vata em um horário determinado. Mesmo que o apetite de Vata seja variável, é importante que você coma refeições nutritivas em intervalos regulares. Esse dosha se desequilibra muito fácil com um estômago vazio e as pessoas com esse biotipo predominante tendem a se sentir desequilibradas, exaustas ou mal-nutridas se não comerem três refeições por dia. Certifique-se de incluir um café-da-manhã quente e nutritivo com alimentos substanciosos. Comer um pouco de gengibre fresco ajuda a estimular o apetite antes das refeições e ajuda na digestão.
- Tome muitos líquidos aquecidos durante o dia. Já que Vata tem uma tendência a ser seco e ficar desidratado, crie uma rotina para aproveitar bebidas quentes. Tente água morna com limão ou chá de gengibre fresco. Prepare o chá colocando uma colher de chá de gengibre ralado em uma garrafa térmica e a encha com água quente. Você também pode tomar uma xícara de leite quente com um pouco de cardamomo ou noz-moscada antes de dormir. Dica: não consuma cafeína ou álcool quando estiver tentando reequilibrar Vata. Esse dosha se desequilibra com estimulantes.
- Concentre-se no amor. Quando Vata está desequilibrado, você pode sentir-se sobrecarregado com medo e preocupação. Ao invés de concentrar-se nestes sentimentos, foque no amor e na compaixão. O que enche seu coração de amor? Pode ser simples como passar alguns momentos brincando com seu cachorro ou gato, parar para apreciar a beleza de uma árvore, ou escrever um bilhete de agradecimento a um amigo. Crie uma lista de práticas simples de amor e escolha um momento para aproveitar um deles pelo menos uma vez por dia. Se você se sentir ansioso, coloque a mão sobre seu peito e respire fundo por um minuto enquanto considera as coisas pelas quais sente-se grato. Se criar ritmos e uma regularidade que nutrem sua mente, corpo e espírito, vai se descobrir mais energizado, equilibrado e saudável.
PITTA | Descanse!
Pitta
Quando desequilibrada, a pessoa que tem Pitta como dosha predominante sente-se:
- Agressiva;
- Crítica;
- Imprudente;
- Ressentida;
- Argumentativa;
- Sarcástica;
- Irritável;
- Exigente;
- Impaciente;
- Ciumenta;
- Hostil;
- Intolerante;
Quando equilibrada, sente-se:
- Aquecida;
- Cheia de energia;
- Alegre;
- Corajosa;
- Confiante;
- Focada;
- Perceptiva;
- Criativa;
- Apaixonada;
- Inspirada;
- Inteligente;
- Empreendedora;
De todos os doshas, Pitta é o que tem maior impulso interno, agressividade e energia. Como Pitta, você adora desafios e faz as coisas com o maior esforço possível. Mas caso se force demais, sua energia pode acabar em exaustão e doença. O remédio é começar a cultivar hábitos balanceados, prestando mais atenção em moderação e descanso todos os dias. Algumas dicas:
- Tire um tempo para baixar as atividades. Alternar descanso e atividades é o ritmo da vida. Já que Pittas têm tanta capacidade para a atividade, eles tendem a ignorar o resto do ciclo desse ritmo. É importante encontrar calma durante o dia. Ao invés de encher a agenda com reuniões e tarefas, deixe espaços para o rejuvenescimento. Separe um tempo para fazer pausas para caminhar na rua, meditar, escutar música que o tranquiliza e recarregar. No final do dia de trabalho, desligue seu telefone, resista à tentação de checar e-mails e não leve trabalho para casa. Aproveite um jantar calmo e passe tempo com amigos.
- Medite. A meditação ajuda você a tornar-se uma ilha de calma em meio ao caos que o cerca. Por sua natureza, a meditação o leva para aquele canto silencioso dentro de você e trabalha gentilmente para diminuir a resposta ao estresse de "luta ou fuga". Os ritmos do seu coração e da sua respiração diminuem enquanto seu cérebro é estimulado a liberar químicos que o fazem se sentir bem e aumentam sua concentração e bem-estar, incluindo dopamina, serotonina, oxitocina e endorfinas. 
- Lembre-se de que descanso é a fonte da atividade dinâmica. O segredo dos grandes corredores não está na velocidade, mas no poder que encontram dentro deles mesmos antes de iniciar a corrida. Através da meditação, você pode descobrir que o maior poder pessoal é atingido sem agressividade. Experimente, em um ambiente silencioso, fechar seus olhos, respirar fundo e virar o foco para dentro. Concentre sua atenção no seu coração, no centro do seu peito. Sente-se silenciosamente e deixe sua atenção ficar lá. Se for distraída por pensamentos aleatórios, sensações no seu corpo ou barulhos no ambiente, concentre-se novamente assim que perceber que isso aconteceu. Depois de alguns minutos, abra os olhos. Pela próxima meia hora, observe se você permanece centrado. Não jogue-se imediatamente em demandas externas. 
- Mantenha-se frio. O frio em qualquer forma ajuda a equilibrar um Pitta ativo demais. Mantenha seu quarto refrescado enquanto dorme e não fique muito tempo tomando um banho quente, pois umidade quente demais pode fazer você se sentir nauseado ou tonto quando Pitta está desequilibrado. Se sentir-se aquecido demais, coloque uma compressa fria na sua testa e na parte de trás do pescoço, ou beba água fria. O Ayurveda recomenda apenas evitar água excessivamente gelada, porque prejudica o fogo digestivo. 
- Mantenha uma alimentação favorável a Pitta. Coma refeições moderadas em horários regulares três vezes por dia. É importante não comer demais, o que Pittas tendem a fazer se forçarem demais sua excelente digestão. Ao mesmo tempo, Pittas sentem uma fome imensa se pulam refeições. Se você tem um apetite fora de controle, tente, gradualmente, comer refeições menores, começando com três quartos do que você come agora. Consuma essa quantidade por um ou dois dias e então diminua para a metade da sua quantidade normal de consumo. No Ayurveda, o tamanho ideal da alimentação é o tamanho que enche suas duas em concha. Essa quantidade deve proporcionar ao seu estômago um espaço suficiente para uma digestão saudável. Dica: sabores amargos freiam o apetite, então tomar água tônica antes de uma refeição, ou comer uma salada com folhas verdes e amargas, como chicória, radicci, almeirão e alface, podem ser uma boa alternativa para não exagerar.
- Concentre sua atenção na beleza e na risada. Os Pittas têm um amor natural pela beleza que é maravilhosamente satisfeito por passar tempo na natureza. Aproveite a beleza da natureza sempre que possível: aprecie o pôr-do-sol, vá para fora e encare a lua cheia, caminhe na praia e em água corrente. Lugares bonitos ajudam Pittas a diminuir o ritmo e relaxar. Os Pittas já sabem como ser sérios, então precisam do tônico da risada mais do que qualquer outro biotipo. A risada solta o estresse e a raiva e deixam Pitta mais suave. Tente aproveitar uma boa risada profunda todos os dias. Tente assistir comédias, compartilhar suas piadas favoritas, e passar tempo com pessoas divertidas e brincalhonas.
Fonte: Chopra.com

Realinhe-se através do olfato

Óleos essenciais são muito utilizados pelo ayurveda, ciência milenar indiana, para a cura e o bem-estar.

Você já teve aquela sensação de sentir um cheiro agradável e ficar quase que automaticamente mais calmo ou de bem com a vida? 
O olfato é um sentido altamente poderoso: as células olfativas mandam impulsos direto para o sistema nervoso e, através dele, são interpretadas e provocam algum tipo de sentimento. É justamente o olfato um dos aliados mais poderosos do ayurveda (ciência milenar indiana que examina a constituição física, natureza emocional e estado de espírito das pessoas). O ayurveda utiliza há séculos os óleos essenciais em massagens e tratamentos, buscando a cura e o bem-estar. Por aqui, no ocidente, há também a aromaterapia, bastante procurada para tratar doenças físicas e psicológicas. 
Óleos essenciais
Ao longo da vida, desenvolvemos uma memória olfativa, associando cheiros a lembranças ou sensações. E embora seja diferente para cada um - se eu sentir um cheiro de lavanda ele talvez signifique algo diferente para mim do que para você, pelas experiências anteriores diferentes que tivemos - há uma série de indicações de qual tipo de óleo essencial ou de cheiros buscar para dar aquela realinhada no corpo e no espírito.
Os óleos essenciais devem ser completamente naturais, extraídos de raízes, folhas, plantas, ervas, flores, madeiras e resinas. Abaixo, você vê algumas características e alguns óleos e cheiros que podem ser utilizados para cada uma delas:
Por sensação:
- Tensão: um aroma floral costuma funcionar bem para ajudar a manter a mente clara e relaxar. Ex: óleo de lavanda
- Abafamento, dificuldade para respirar:  aromas fortes como o de cânfora ou similares ajudam a melhorar a respiração. Ex: óleo de eucalipto
- Cansaço: aromas frescos e cítricos ajudam a energizar e revigorar a mente e os sentidos. Ex: óleo de laranja
- Distração: aromas "quentes", do tipo cânfora, ajudam a trazer clareza e foco para a mente. Ex: óleo de alecrim
- Estresse: aromas doces e frutosos ajudam a acalmar. Ex: óleo de bergamota
- Indisposição: aromas frescos e mentolados ajudam a refrescar e estimular uma melhor respiração, além de ajudar com a garganta. Ex: óleo de hortelã-pimenta
Óleo essencial
Por biotipo: 
(Saiba mais sobre os doshas, biotipos segundo o Ayurveda, clicando aqui e aqui
Vata: normalmente, esse biotipo responde bem a essências cítricas, doces, quentes e resinosas, como patchouli, lavanda, bergamota, ylang-ylang, cravo, erva doce, capim limão, cedro, laranja e jasmim e néroli.
Pitta: responde bem a óleos frescos, doces, herbáceos e florais, como sândalo, camomila, rosa, vetiver, gerânio, sálvia esclaréia, hortelã-pimenta, mirra, olíbano, petigrain, manjerona e lótus.
Kapha: respone bem a essências quentes, estimulantes e depurativas, como canela, gengibre, gerânio, cânfora, eucalipto, tomilho, mostarda e manjericão.
No caso dos óleos essenciais, há várias maneiras de utilizá-los: misturar algumas gotas com algum outro óleo, como o de amêndoas, e colocar um pouco entre o nariz e a boca para inalar durante alguns minutos; acrescentar gotas a uma tigela de água quente e cobrir a cabeça com uma toalha para inalar; colocar em um difusor; colocar um pouco nas têmporas e nos pulsos; misturar na água do banho; misturar com água e usar um spray... Depende do óleo. Agora, os incensos e sabonetes cheirosos também são uma ótima alternativa. 
Namaste! _/\_

Em plena era digital, o yoga pode te ajudar a ficar mais atento

A tecnologia ajudou a melhorar muito a nossa vida, mas às vezes, precisamos de uma pausa.

A tecnologia faz uma diferença enorme nas nossas vidas e parece impossível viver sem ela. Ainda assim, às vezes, precisamos de uma pausa. Ter smartphones, redes sociais e acesso à Internet imediato é ótimo, mas pode provocar muitos desafios e complicações se esse uso não for bem administrado. O site Yoga Journal utiliza um termo fantástico: mindful. Sua tradução "oficial" é "atento", mas não é exatamente isso. Seria algo como presente, focado. 
Quem pratica yoga em casa - ou realiza outras tarefas que exigem concentração - sabe muito bem como é difícil se manter focado com o barulhinho incessante do WhatsApp ou alguma notificação de Facebook tocando. Sentimos uma atração quase que irresistível para sermos multitarefas. Comemos mexendo no celular, lavamos a louça olhando TV, tomamos banho pensando no que cozinhar para o jantar, fazemos yoga pensando nas tarefas que precisamos cumprir quando terminarmos a prática.
O Yoga Journal entrevistou a professora de yoga e PhD Judith Hanson Lasater, que afirma que um bom começo é tomar consciência destes hábitos que nos impedem de viver no momento presente. Confira a tradução: 
Yoga Journal: Há tantas coisas nas nossas vidas, hoje, que é muito fácil não estar no momento presente. Você acha que a tecnologia afeta nosso nível de consciência e presença?
Judith Hanson Lasater: Sim. Devíamos escrever em nossos telefones "me larga e vá sentir o cheiro das rosas". A coisa que eu mais amo no mundo deve ser meu smartphone, porque nunca está a mais do que a um braço de distância de mim, noite e dia. Aí está. É uma coisa maravilhosa e já salvou vidas e eu não gostaria que as coisas voltassem a ser como eram. Mas precisamos de limites. Não levo meu telefone para dentro da sala de prática. Não precisamos de preto e branco, mas de mais áreas cinzentas no nosso uso da tecnologia. Precisamos de um tempo afastados. 
YJ: Como começamos a fazer isso?
JHL: Acho que temos que nos disciplinar um pouco. Exige coragem, força, disciplina e apoiod e outras pessoas à nossa volta para nos desconectarmos e precisamos fazer isso. Nossos sistemas nervosos estão exaustos. As pessoas estão desesperadas para aprender como não fazer nada, como ser. É por isso que adoram yoga restaurativa (método ensinado por B.K.S.Iyengar, que foi mestre de Judith). É tão saudável não fazer nada por 20 minutos por dia e descansar. O estresse é o principal problema do nosso mundo. Uma pessoa relaxada não quer matar ninguém. Uma pessoa relaxada não quer fazer o mal. Raiva no trânsito, mortes precoces, saúde ruim - tudo está ligado ao estresse. Reduzindo o estresse e entendendo a natureza da nossa mente, que Patanjali nos ensina (nos yoga sutras, escrituras antigas sobre yoga), e aprendendo o por que criamos este estresse, é muito importante. Temos essas ferramentas novas e novas tecnologias, e são maravilhosas, mas criam estresse. Todo mundo precisa de um período sabático, sendo religioso ou não. Precisamos de um dia sabático na semana. 
YJ: Nas suas aulas, com o passar dos anos, teve alguma percepção sobre como a tecnologia pode afetar a prática dos alunos?
JHL: Bom, vou contar a minha experiência. Ensino yoga há 45 anos e ensinei em quase todos os estados dos Estados Unidos e em seis continentes. Nos últimos 5 a 7 anos, tem sido cada vez mais difícil para as pessoas deitarem em Savasana (postura de relaxamento), especialmente as pessoas com menos de 45 anos. Acho que isso poderia estar relacionado ao que você está se referindo - à atração constante de ser multitarefas. 
YJ: O que algumas práticas relacionadas ao Yoga Sutra podem ensinar a pessoas que estão muito ligadas a tecnologia para conseguirem o relaxamento que desejam?
JHL: Tente diminuir o ritmo. Às vezes você está no aeroporto e talvez tenha que ir rapidamente de um portão a outro para pegar seu voo ou talvez tenha que ir rapidamente até algum lugar para buscar seu filho. Não estou falando sobre não se mover rapidamente quando for necessário, estou falando sobre não acrescentar à situação aquele turbilhão mental de "ah meu Deus, estou atrasada, tenho que chegar lá, vamos, vamos". O que aprendi a fazer quando estou atrasada é diminuir um pouco esse ritmo e não me faz chegar ainda mais tarde. Estou indo do ponto A ao ponto B, e vai levar o tempo que tiver que levar. Vou ficar com esse turbilhão mental ou vou me mover em direção ao ponto B da melhor maneira possível e não reagir?

Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS