Publicidade
Cotidiano Animalescas

Mau hálito canino é sinal de que algo está errado

Muito mais que um cheiro ruim vindo da boca, o 'bafinho' do seu amigo de quatro patas pode indicar que o pet precisa de ajuda veterinária e cuidados de higiene

Por Débora Ertel
Publicado em: 15.09.2020 às 06:00 Última atualização: 15.09.2020 às 09:25

O pequeno Thor já enfrentou tratamento contra cinomose e teve seus dentes afetados pelo uso de antibióticos Foto: Acervo pessoal
Thor, de 9 anos, sofre de mau hálito há cinco anos. Ou seja, em mais da metade de sua vida o cheirinho ruim volta e meia sai da sua boca. A designer Andressa Winck Moraes, 27 anos, cachorreira de primeira, está sempre de olho no amigo dengoso e não descuida para evitar que o problema fique mais grave. Mesmo assim, o peludo já passou por poucas e boas. A professora do Curso de Medicina Veterinária da Universidade Feevale Vanessa Feder diz que o problema da halitose (nome técnico do mau hálito) é mais comum do que se imagina. Ainda mais agora que os pets passam muito tempo de dentro de casa e tiveram mudança nos seus hábitos alimentares.

A causa do "bafo" pode ter origem digestiva, endócrina ou por falta de limpeza, entre outras. "É um sintoma clínico como qualquer outro, que pode sinalizar várias coisas", diz. Conforme a docente, a principal prevenção é o cuidado com a alimentação e a higiene bucal. De acordo com ela, até diabetes dá para identificar pelo cheiro, já que a doença provoca um hálito característico. Ela reforça que todos os cachorros deveriam ter os dentes escovados por seus tutores diariamente.

Para ajudar na tarefa dos tutores e diminuir o desconforto dos animais, existem produtos específicos, com escovas em formato de dedal e creme dental até no sabor carne. "Não pode usar a pasta que a gente usa, pois tem flúor e os cachorros não sabem cuspir. Pasta canina não tem flúor", explica a profissional. Ela alerta que sabores mentolados os pets costumam não gostar, o que dificulta na hora da escovação.

O tártaro, aquela mancha amarelada nos dentes, é comum na maioria dos cães. Vanessa explica que o problema acontece pela falta de higiene e porque a alimentação fica presa aos dentes. Por isso, é ideal que o médico veterinário faça uma limpeza nos dentes do animal, retirando aquela sujeira que com a escova não é mais possível limpar. "Quando não é nada de grave, a maioria dos veterinários a fazem. Se for mais sério, terá que procurar um especialista", comenta. Vanessa alerta que o tártaro gera perda óssea e as placas bacterianas se formam em 24 horas.

A boca do Thor

Thor já passou por poucas e boas na boca. Ele foi adotado quando enfrentava uma cinomose e teve seus dentes afetados pelo uso de antibióticos. Segundo Andressa, o cachorro ainda sofreu com tártaro e acabou perdendo parte da arcada, tendo que teve que passar por uma cirurgia porque ficou com a gengiva cheia de buracos. "Daí ele precisou colocar enxerto", diz. Faz seis meses que o cão fez o procedimento e, agora, o mau hálito está voltando aos poucos.

Loção e spray não resolvem

Segundo Vanessa, o uso de sprays e loção na água não resolvem o problema do mau hálito, mas atenuam apenas o mau cheiro. "Os componentes antissépticos disfarçam o problema. Tem que se chegar na causa para tratar a halitose", ressalta. A dica é que o tutor sempre fiscalize a boca do seu pet e procure um veterinário se notar algo anormal.


Mais praticidade no seu dia a dia: clique aqui para receber gratuitamente notícias diretamente em seu e-mail!

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.