Publicidade
Cotidiano | Decoração Dia das Crianças

Com a cara dos donos

Veja dois projetos de quartos infantis que priorizam a personalidade dos seus pequenos moradores

Por Marcelo Kenne Vicente
Publicado em: 10.10.2020 às 03:00

Móveis e objetos antigos ganham vida nova com o projeto Foto: Vivi Spaco
Projetos de quartos infantis trazem como uma característica importante a identificação da criança com os itens de decoração escolhidos. Desde temas que remetam à infância e à aventura, paleta de cores e até personagens de desenhos, esses elementos possibilitam que os pequenos se sintam mais seguros e confiantes no espaço criado só para eles. Ou seja, as peças podem e devem ficar com a cara dos seus donos.

Segundo a arquiteta Pati Cillo, em um dormitório infantil é necessário priorizar uma atmosfera agradável e, se possível, ambientes amplos para a criança poder brincar na hora que quiser e usar sua criatividade. "Não precisa ser igual aos outros lugares da casa, e sim ter personalidade própria, com cores e temas que cativem a criança. Devem ser quartos confortáveis com local para descansar e se divertir", explica a arquiteta de São Paulo. Mais um item destacado por ela é o espaço livre para brincar e organizar os brinquedos e livrinhos.

Além da beleza e funcionalidade, uma questão importante considerada por Pati Cillo em seus trabalhos é a segurança. "Eu não uso em quartos infantis mesas e prateleiras em vidro, peças com pontas que podem machucar e mobiliário muito grande que não permita a circulação", destaca.

Quarto de marinheiro

Um dos projetos criados pela arquiteta foi o do quarto infantil para o filho mais novo, de 5 anos, de um casal morador de um apartamento no bairro Aclimação, zona sul de São Paulo. A decoração foi toda com estilo de marinheiro, temática preferida do pai desde a infância e repassada ao filho.

Antes, o quarto abrigava o escritório e parte da mobília foi reformada com as cores do novo quarto, como a estante com prateleiras azuis e o móvel de chão com portas. A mãe também solicitou um espaço com circulação ampla e móveis de apoio à fase da vida da criança: poltrona, móveis para organizar brinquedos, etc. A arquiteta explica que toda a decoração conta com objetos que eram do pai. "O barquinho e os bichinhos vestidos de pirata faziam parte de uma coleção do proprietário da casa. O principal desafio do projeto foi reaproveitar os móveis existentes, fazendo uma nova decoração e valorizando os brinquedos antigos que o pai fazia questão de que estivessem na nova decoração. Tudo misturado com elementos atuais e modernos."

A dona é quem decide

Outro projeto, este em um apartamento situado no bairro Moema na capital paulista, foi de um quarto de uma menina, de 7 anos de idade. Novamente, seguiu-se a premissa de que a decoração de um dormitório infantil não precisa ser "casadinha" com o restante do imóvel, mas, sim, ter identidade própria e estar em sintonia com o pequeno morador. "Antes de tudo, conversamos muito com os proprietários do imóvel, e com as crianças sugerimos que elas façam desenhos para mostrarem como imaginam o novo quarto. Neste projeto específico, a menina nos falou que gosta da cor-de-rosa e também ajudou a escolher o papel de parede", conta a arquiteta.

A peça inclui cama, escrivaninha e espaço para guardar brinquedos. "A combinação de cores e a parte lúdica da casinha, junto à cama, transporta a crianca para um lugar só dela." Como resultado, o projeto ficou contemporâneo e romântico. Um quarto "doce", como é a dona.


Quer receber notícias como esta e muitas outras diretamente em seu e-mail? Clique aqui e inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.