Publicidade
Cotidiano | Gente Teatro

Tarcísio Meira volta com peça sobre ator que desafia o poder

Em 'O Camareiro', personagem vive a Londres em alerta pela Segunda Guerra Mundial

Última atualização: 07.10.2019 às 10:22

Tarcísio Meira no palco Foto: Priscila Prade
No limite de suas forças, o velho ator interpreta com dignidade e verossimilhança os dramas do Rei Lear, um dos mais complexos personagens de William Shakespeare. "Sua mente já está embaralhada e ele se confunde, assumindo como suas algumas das falas de Lear, o que torna ainda mais intrigante sua fragilidade", comenta, com imenso carinho, Tarcísio Meira que, a partir do dia 18, reassume o papel daquele homem, protagonista da peça "O Camareiro", que retorna, agora no Teatro Faap.

Em 2015, quando estreou a primeira temporada, Tarcísio ganhou o prêmio Shell pela sua atuação. A honraria o convenceu a retomar o espetáculo, agora como produtor, depois de adquirir os direitos que pertenciam a Kiko Mascarenhas, ator com quem dividia o palco. Aliás, o envolvimento da dupla é essencial para o sucesso da peça.

A trama se concentra na relação de um veterano ator, identificado apenas como Sir (Tarcísio), com Norman (Cassio Scapin), seu obstinado criado. A peça começa quando a Europa vivia um momento delicado: durante a Segunda Guerra, mesmo com Londres sob ameaça constante de bombardeios, uma companhia de teatro shakespeariano insiste em permanecer em cartaz, encenando uma vez mais a desafiadora peça Rei Lear. Escrita em 1980 pelo britânico Ronald Harwood, a peça pede, de fato, um intérprete solene - na versão para o cinema, por exemplo, dirigida por Peter Yates em 1983, Sir foi vivido por Albert Finney e, no telefilme exibido pela BBC em 2004, o papel foi defendido por Anthony Hopkins.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.