Publicidade
Cotidiano | Viver com saúde Cuide da saúde

Sedentarismo e alimentos pobres em nutrientes podem resultar em pedra na vesícula

Colesterol ou o excesso de sais tendem a formar cálculos de diferentes tamanhos, alerta cirurgião

Última atualização: 29.06.2020 às 13:33

Dor forte no abdome é um dos sintomas da colelitíase Foto: Adobe Stock
O sedentarismo e a ingestão de alimentos pobres em nutrientes, comuns nestes dias de distanciamento social, escondem, entre outras questões, um sério risco: a colelitíase ou pedras na vesícula. O cirurgião do aparelho digestivo João Couto Neto explica que o colesterol ou o excesso de sais tendem a formar cálculos de diferentes tamanhos na bile e, com isso, prejudicar a passagem no canal que leva a bile ao intestino. Ele lembra que a vesícula reserva e concentra a bile produzida pelo fígado até ser liberada no intestino.

"Essas pedras que ficam na vesícula não conseguem ser liberadas e acabam causando dor na região abdominal. Além disso, podem causar dor nas costas, náuseas e vômitos. Raro, mas algumas pessoas podem ter cálculo na vesícula e não apresentar sintomas", cita. Prevenção é o melhor. "Um padrão alimentar com consumo de frutas, legumes, grãos integrais, óleo vegetal e peixe está associado à diminuição do risco para a doença. Também é importante baixar o consumo de açúcar, grãos refinados e bebidas açucaradas."

Diagnosticar e tratar

Couto ressalta que o diagnóstico é feito com facilidade, com ultrassonografia de abdômen. Nem todos os pacientes precisam ser submetidos à cirurgia, mas quando os sintomas aparecem, dificilmente será evitada. "Não importa o tamanho ou a quantidade dos cálculos biliares. No ano passado realizamos uma cirurgia em que o paciente tinha mais de 500 pedras, o que não é tão raro assim. O que importa é que se elas surgirem precisam ser retiradas para o bem-estar e saúde do paciente, afirma.


Receba notícias diretamente em seu e-mail! Clique aqui e inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.