Publicidade
Notícias | Novo Hamburgo Mutirão do bem

Mulheres fazem pintura gratuita à entidade que atende crianças com câncer

As paredes da Associação de Assistência em Oncopediatria (AMO Criança) receberam nova cor por voluntárias que passaram por oficina de pequenos reparos

Por Cristiano Santos
Última atualização: 25.01.2020 às 15:01

A costureira Silvana Petry participou da iniciativa pois queria mais autonomia para fazer pequenos reparos sozinha Foto: Cristiano Santos/GES-Especial
Com sorrisos nos rostos, capacetes nas cabeças e muita disposição, 25 mulheres coloram a mão na massa pela oficina de pintura e pequenos reparos em imóveis da ONG Mulher em Construção, neste sábado (25). Além do aprendizado e amizades realizadas, o grupo também fez uma boa ação, já que a aula prática foi nas paredes da Associação de Assistência em Oncopediatria (AMO Criança), em Novo Hamburgo, dedicada a atender crianças com diagnóstico de câncer.

No início, Fatima Wilhelm, 64 anos, aposentada do ramo administrativo, sabia pouco sobre pintura e reparos em residências. Curiosa, foi aprendendo através da ONG. Hoje, é uma das multiplicadoras da entidade, que já passou com o projeto itinerante por mais de 20 cidades gaúchas, levando workshops com noções básicas de alvenaria, pintura, hidráulica e cerâmica. "Temos mulheres bem engajadas, algumas com experiência na área. Mas, a maioria vem para aprender a técnica correta, aplicação e uso de materiais, as ferramenta e equipamentos para usar", comenta.

O grupo que trabalhou dando novas cores ao auditório e lavanderia da AMO ia de 19 a mais de 70 anos, algumas pensando em aplicar o conhecimento no mercado de trabalho.

Alunas aplicadas

Magda Dinara Bonn, 49 anos, moradora do bairro canudos, participou do Mulher em Construção Foto: Cristiano Santos/GES-Especial
Em cima de uma cadeira, olhos atentos ao serviço, a estudante de artes visuais Magda Dinara Bonn, 49, moradora do bairro Canudos, conta que estava aprendendo algo que sempre teve vontade de descobrir: a pintura. "Agora, vou conseguir tirar de letra. Já aprendi até a fazer a massa para o cimento", brinca.

Quem também não tinha experiência era a costureira Silvana Petry, 48, do bairro Canudos. "Poderei aplicar em casa para socorros do dia a dia, quem sabe possa ser uma profissão futura", salienta, ao avaliar que o treinamento foi prático e sanou várias dúvidas.

Ana Maria Alves Machado, 60 anos, aposentada, bairro Guarani, participou do Mulher em Construção Foto: Cristiano Santos/GES-Especial

Ana Maria Alves Machado, 60, aposentada, do bairro Guarani, veio para aprender e compartilhar o conhecimento com irmãs e amigas. "Costumo fazer pequenos reparos em casa, mas queria aprender mais", explica. O que mais gostou foi da aula sobre preparação da parede para pintura. "O curso foi muito interessante, a turma estava bem animada, empenhada em aprender mesmo", pontua.

Parcerias pelo bem

Participantes do Mulher em Construção Foto: Cristiano Santos/GES-Especial
A iniciativa só é possível graças a parcerias com empresas que cedem espaço e doam todos os materiais e equipamentos para as voluntárias ensinarem as técnicas gratuitamente para as mulheres. Quem ganha com isso também são as entidades beneficentes, que se tornam os ambientes para a prática das oficinas e recebem pintura nova sem custos.

A gerente administrativa da AMO, Carla Rosana da Silva, lembra que a manutenção de um prédio não é simples, muito menos barata. "Sempre estamos captando recursos, mas para tratamento das crianças. Com essa ação, são valores que não precisaremos tirar do caixa", comenta, ao lembrar que a mão de obra feminina ajuda na capacitação delas e geração de renda. "O salão estava precisando de melhoria, é um dos lugares que as crianças utilizam muito. Para nós, foi bom demais, estamos muito gratos", reforça.

Para estimular diversas habilidades

Os treinamentos incluem leitura e interpretação de planta baixa, empreendedorismo e cooperativismo e desenvolvimento de pensamento crítico com relação a sexualidade, autoestima, empoderamento, sustentabilidade e relações interpessoais no local de trabalho.

Mulheres empoderadas e capacitadas

A ONG Mulher em Construção nasceu em Canoas, no dia 8 de março de 2006, mas não tem sede fixa. O objetivo é dar mais independência e empoderamento ao público feminino. Fatima Wilhelm lembra que 90% das participantes fazem reparos em casa, mas pelo intuito.

"Através das oficinas, ensinamos o método correto, todas as etapas, antes e depois da pintura", comenta. As alunas têm acompanhamento durante dois anos, para saber como elas estão, se empregadas ou precisam de ajuda.

5.000

mulheres, mais ou menos, já participaram dos workshops da ONG.


Quer receber notícias como esta e muitas outras diretamente em seu e-mail? Clique aqui e inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.