Publicidade
Notícias | País Tragédia

Trigêmeos morrem afogados no Rio Paraná

Homem, de 47 anos, que levou as vítimas ao local também morreu

Última atualização: 03.12.2019 às 07:00

Trigêmeos são vítimas de afogamento no Paraná Foto: Arquivo pessoal / Reprodução G1
A Polícia de Mundo Novo, no Paraná, está investigando o afogamento de trigêmeos e um homem de 47 anos, que tomavam banho no Rio Paraná neste fim de semana. Até o momento, o único sobrevivente é o filho, de 13 anos, desse homem que acompanhava os adolescentes. Uma das adolescentes segue desaparecida. As informações são do portal G1.

A delegada Allana Zarelli, que conduz a investigação, falou com o G1 e diz que está tratando o caso como tragédia. As famílias das vítimas serão chamadas para depor. "Estou me inteirando de todas as informações neste momento e as pela menina ainda continuam. Os corpos já foram encaminhados para o Paraná, de onde eles são, e está ocorrendo o sepultamento por agora", explicou.

Ainda segundo as informações do portal, o senhor que levava os irmãos e o filho dele também faleceu. "Ele era um amigo da família e estava levando os irmãos e o próprio filho para um passeio. O senhor era de Guaíra e os irmãos de Alto Piquiri, ele conhecia a região. No entanto, essas prainhas que estavam frequentando são instáveis e desaparecem conforme o movimento do rio", comentou.

O caso

O inquérito é de morte a esclarecer. Os afogamentos, segundo a polícia, ocorreram em um local conhecido como "Prainha do Sol", que fica a cerca de 15 km de Mundo Novo, região sul do estado. Por não se tratar de um balneário, o local não tem salva vidas.

As buscas ocorreram durante o final de semana e foram retomadas pelo Corpo de Bombeiros por volta das 6h (de MS).


Quer receber notícias como esta e muitas outras diretamente em seu e-mail? Clique aqui e inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.