Publicidade
Notícias | Rio Grande do Sul Saúde

Novo aplicativo promete otimizar atendimento do Samu

Disponível apenas para Android, o 'Chamar 192' foi lançado esta semana

Por Jauri Belmonte
Última atualização: 08.11.2019 às 11:55

Aplicativo está disponível apenas para celulares Android Foto: Reprodução

Foi lançado nesta semana, pela Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sul, o aplicativo Chamar 192 – Samu. Com o objetivo de otimizar o atendimento do Serviço Móvel de Urgência (Samu) para casos de urgência e emergência em território gaúcho agora pode ser realizado via aplicativo para celular. Disponível nas lojas de aplicativos para smartfones, o aplicativo vai permitir que os usuários façam o cadastro prévio completo, com data de nascimento, sexo e locais favoritos, como casa e trabalho. 

A ferramenta vai usar as informações cadastradas para agilizar o processo de regulação do Samu, no caso de alguma emergência. O médico que atender ao telefonema saberá, previamente, informações básicas e localização via GPS, diminuindo o tempo de resposta para a chegada da ambulância. “Às vezes a pessoa não sabe o nome da rua, ou exatamente a localidade onde está. O GPS vai facilitar ao apontar com precisão onde a ambulância deve ir”, disse a secretária Arita Bergmann. 

Segundo a secretária, outro benefício que o aplicativo vai trazer é o fato de inibir os trotes: “Sabendo de antemão quem é a pessoa que está ligando, diminui a chance de haver trotes”. Em 2018, mais de 90 mil telefonemas recebidos pelo 192 foram falsos chamados, correspondendo a 8,3% das ligações. Este ano, até o início de novembro, já foram aproximadamente 74 mil ligações falsas. O aplicativo está disponível, apenas, para Android.

Quer receber notícias como esta e muitas outras diretamente em seu e-mail? Clique aqui e inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.