Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
XYZ
Cinema

Estranho e perturbador, Border é um dos melhores filmes do ano

Produção sueca teve premiação em Cannes
21/04/2019 16:40 21/04/2019 16:40

Foto por: Divulgação
Descrição da foto: Eva Melander atuando com maquiagem pesada em Border
Infelizmente, Border só está passando em Porto Alegre. Mas vale se tocar para a capital para assisti-lo ou, ao menos, anotar para quando chegar em vídeo. A produção sueca, que foi premiada em uma mostra alternativa de Cannes, é um dos filmes mais esquisitos e provocantes da temporada. O diretor Ali Abbasi não é tão conhecido por aqui, mas um dos roteiristas é John Ajvide Lindqvist, do cultuado terror Deixe Ela Entrar.

A história acompanha Tina, uma policial que trabalha na aduana portuária. Ela tem um olfato que beira o sobrenatural, e consegue identificar contrabandistas ou até criminosos apenas pelo cheiro de medo, culpa ou ódio que estejam exalando. Feia a ponto de ser chamada de “aberração” por outras pessoas – e às vezes por si própria –, ela mora no meio do mato e só se sente verdadeiramente feliz no meio dos bichos, sozinha no agreste. Um dia, ela encontra um suspeito muito parecido com ela mesma. Sua intuição lhe diz que ele fez algo errado, mas ela não consegue descobrir o quê. Também fica crescentemente intrigada, até fascinada pelo sujeito. Sua busca trará muitas revelações.

Border tem suficientes toques de suspense, policial e até fantasia para manter o espectador interessado na trama, ao mesmo tempo que coloca na roda uma mensagem filosófica. Com seus protagonistas totalmente diferentes do ideal do mocinho e da mocinha lindos e sarados, o filme cutuca o tempo todo as convicções e o conforto de quem assiste. Mesmo sob uma tonelada de maquiagem protética, a atriz Eva Melander emociona, principalmente quando contracena com Eero Milonoff.

Border é estranho, seco e até cruel, ao mesmo tempo exótico e reflexivo. Com sua trama levemente fantástica, mas repleta de temáticas relevantes na realidade contemporânea, é uma fábula para adultos, uma releitura sombria, meio amarga, dos tradicionais contos de fadas. Esquisitão e profundo como só os filmes suecos sabem ser, Border é um exercício de compreensão da alteridade.

Um filme de verdade. É um dos últimos exemplares de uma espécie quase extinta.

Jornal NH

XYZ

por André Moraes
andre.moraes@gruposinos.com.br

Assim como na tradicional coluna semanal de variedades do jornal ABC Domingo, o XYZ fala de cinema, tevê, quadrinhos, nostalgia e assuntos da cultura pop em geral. Informação e curiosidades com um toque de humor.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3553.2020 / 51 992026770
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS