Publicidade
Botão de Assistente virtual
Cotidiano | ABC Pra Você | Viver com saúde Exemplo

Como deve ser a alimentação dos pequenos?

Rotina saudável da família tem influência direta na formação do paladar das crianças

Publicado em: 28.12.2020 às 09:14

Alimentação saudável das crianças evita o surgimento de doenças crônicas na fase adulta Foto: Adobe Stock
Os hábitos alimentares são formados nos primeiros anos de vida. É o que destaca a nutricionista da Unimed Encosta da Serra Gabriela Grings, que resume de forma bem clara a importância da alimentação de qualidade na rotina das crianças. "A formação do paladar e do hábito alimentar das crianças é diferente dos padrões de adultos, muitas vezes 'viciados' em costumes e sabores", explica Gabriela.

O consumo de alimentos muito doces ou muito salgados faz com que as crianças se desinteressem pelos itens saudáveis, como frutas e verduras, e formem os hábitos não saudáveis, que podem perdurar até a vida adulta.

Se a criança estiver inserida em um ambiente familiar em que a alimentação de qualidade seja o padrão, aí o incentivo para a relação harmoniosa com a comida será natural. Explica Gabriela que os pequenos repetem os hábitos dos pais ou das pessoas com as quais convivem, portanto, uma família que tem a rotina de consumir frutas, verduras e legumes diariamente será a melhor forma de promover este exemplo na vida da criança para o presente e também a vida adulta.

Qualidade e compulsão

"Crianças saudáveis devem comer alimentos de todos os grupos alimentares em livre demanda", destaca. Mas, é importante que os pais estejam atentos ao relacionamento dos filhos com a comida. "Muitas vezes, crianças chegam ao consultório com excesso de peso, mesmo com uma alimentação de boa qualidade; o problema é que, às vezes, existem questões emocionais que levam o pequeno a desenvolver comportamentos compulsivos."

O que é preciso evitar na alimentação das crianças?

Gabriela lembra que em casos de compulsão alimentar das crianças é importante que os pais busquem ajuda de profissionais capacitados.

Ela traz uma lista de alimentos que devem ser evitados:

* Mel ou açúcares de qualquer tipo (demerara, mascavo, açúcar refinado, rapadura, melaço).

* Adoçantes (são ultraprocessados e contêm substâncias químicas não adequadas a essa fase da vida).

* Alimentos ultraprocessados em geral também não devem ser ofertados (são pobres em nutrientes e contêm alto teor de sal, açúcar, gorduras, aditivos como adoçantes, corantes e conservantes)

Não se engane

Não se engane com a aparência! É sempre muito importante que os pais ou responsáveis fiquem atentos aos rótulos, pois muitos alimentos ultraprocessados são vistos como alimentos infantis e saudáveis, principalmente pelos rótulos atrativos, dando uma falsa imagem de alimento saudável.

Prevenção

O resultado pode, em muitos casos, não vir na infância, mas na fase adulta. Gabriela explica que o consumo frequente e em excesso de ultraprocessados está associado ao desenvolvimento de doenças crônicas e gera impacto no meio ambiente com o lixo das embalagens.


Quer receber notícias como esta e muitas outras diretamente em seu e-mail? Clique aqui e inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.