Publicidade
Botão de Assistente virtual
Cotidiano | ABC Pra Você | Viver com saúde ENTENDA

Frio abaixo de 14 graus pode agravar dor nas mãos e pés

Médico destaca que as temperaturas baixas podem causar alterações vasculares, como o Fenômeno de Raynaud

Por Redação
Publicado em: 17.06.2022 às 05:35 Última atualização: 17.06.2022 às 11:55

Nos dias em que as temperaturas ficam abaixo dos 14 graus, uma série de doenças vasculares tem incidências maiores. O cirurgião vascular Calogero Presti, membro do Conselho Superior da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular - Regional São Paulo, explica que a doença arterial obstrutiva periférica pode se agravar com o frio, provocando variados quadros, como a perniose.

Alterações na microcirculação durantes os dias frios pode trazer diversos males às mãos e aos pés
Alterações na microcirculação durantes os dias frios pode trazer diversos males às mãos e aos pés Foto: Adobe Stock
"Existem pessoas que apresentam extrema sensibilidade ao frio e desenvolvem quadros denominados de eritema pérnio (ou perniose). Caracteriza-se pelo aparecimento de alterações cutâneas, com manchas ou nódulos na pele de coloração vermelha, e nos casos mais severos surgem vesículas, bolhas e ulcerações. Os dedos das mãos e pés são as áreas mais afetadas em geral, de maneira simétrica e com menos frequência esse fenômeno acomete a ponta do nariz e das orelhas", esclarece.

Outra alteração microcirculatória funcional, e que ocorre em jovens, é a acrocianose. Caracteriza-se pelo arroxeamento das extremidades, dedos das mãos e pés, e também é agravada pelo frio ou pelo estresse. Em casos raros e de extrema intensidade podem ocorrer pequenas necroses das polpas digitais.

Fenômeno de Raynaud

O fenômeno de Raynaud é outro exemplo de manifestação funcional da microcirculação desencadeada pelo frio. As extremidades, mãos e pés em contato com o frio desencadeiam um fenômeno trifásico inicialmente com intensa vasoconstrição e palidez dos dedos, e após algum tempo (segundos ou minutos) os dedos tornam-se azulados (cianóticos) devido à falta de oxigênio e acúmulo de gás carbônico no sangue da extremidade.

Numa terceira fase, as arteríolas e capilares voltam a se abrir devido a uma vasodilatação compensatória e as extremidades (mãos e pés) apresentam intenso rubor. Esse fenômeno em geral é benigno. "O paciente que tem fenômeno de Raynaud deve procurar o médico para investigar a presença de possível doença autoimune ou reumatológica em curso, ou de uma provável manifestação futura", esclarece.

Para se proteger, o médico indica manter-se bem agasalhado (usar luvas, cachecol, toucas, meias de lã) e realizar atividade física habitual. É aconselhável fazer exames de rotina para acompanhar níveis de colesterol no sangue e controle da pressão sanguínea, ter uma dieta saudável, beber bastante água, evitar fumar e não ingerir quantidades excessivas de álcool.


Quer receber notícias como esta e muitas outras diretamente em seu e-mail? Clique aqui e inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter.

TAGS: frio mãos
Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.