Publicidade
Botão de Assistente virtual
Cotidiano | ABC Pra Você | Viver com saúde ATENÇÃO AOS SINTOMAS

Reumatismo também pode afetar crianças e adolescentes

Artrite Idiopática Juvenil pode causar impactos significativos na qualidade de vida de menores de 16 anos

Por Redação
Publicado em: 01.07.2022 às 05:43 Última atualização: 01.07.2022 às 13:52

Pouca gente imagina que uma criança de dois anos possa ser paciente de um reumatologista, afinal, na visão popular, a especialidade médica está ligada apenas aos idosos. Entretanto, cuidadores precisam estar atentos aos sinais, pois doenças reumáticas podem sim atingir crianças e adolescentes.

Artrite Idiopática Juvenil é a condição reumática crônica mais comum entre o público infanto-juvenil
Artrite Idiopática Juvenil é a condição reumática crônica mais comum entre o público infanto-juvenil Foto: Adobe Stock
Uma das condições reumáticas crônicas mais comuns na faixa infanto-juvenil é a Artrite Idiopática Juvenil (AIJ). A doença é associada à dor, que pode ser intensa, e à incapacidade funcional.

A AIJ é uma condição clínica que engloba sete subtipos da doença, cada um com suas particularidades e tratamento específico, que têm em comum a presença de artrite (inflamação nas articulações) crônica. A identificação da AIJ não é simples, pois os sinais e sintomas podem estar presentes em outras doenças, contribuindo para o atraso diagnóstico e possibilidade de incapacidade física permanente. Por isso, a importância de estar atento e buscar um especialista quando houver aparecimento de dor ou inchaço nas articulações dos pequenos.

O diagnóstico é clínico e feito na presença de artrite em uma ou mais articulações por um período maior ou igual a seis semanas em crianças com idade inferior a 16 anos.

Sinais e tratamentos

Conforme a reumatologista Gleice Clemente, os sintomas mais comuns da Artrite Idiopática Juvenil são dor e inchaço nas articulações, com rigidez matinal (ou seja, dificuldade de movimentar as articulações após longos períodos de repouso, como ao acordar). Os pacientes podem apresentar ainda inflamação nos olhos, febre, manchas avermelhadas pelo corpo e alteração em órgãos.

"Às vezes a criança com artrite não se queixa de dor, o que pode dificultar a percepção da doença e atrasar o diagnóstico. Nestes casos, os sintomas podem ser mais sutis como inchaço discreto na articulação, dificuldade em efetuar determinadas tarefas, como alcançar um objeto pesado acima da cabeça, e modificação da forma como desempenham as funções, como mancar ao caminhar e alteração na escrita", afirma.

O tratamento da doença inclui o uso de medicamentos imunomoduladores, mudanças no ambiente familiar e reabilitação. Atualmente, no Brasil, as opções de terapias são limitadas. O tratamento deve ser feito pelo médico especialista.


Quer receber notícias como esta e muitas outras diretamente em seu e-mail? Clique aqui e inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.