Publicidade
Esportes Futebol feminino

Auxiliar de Pia, Lilie ressalta qualidade dos treinamentos com a seleção feminina

Equipe do Brasil treina em Portugal em preparação para os Jogos Olímpicos de Tóquio

Publicado em: 22.10.2020 às 20:05

Técnica Pia Sundhage com a auxiliar Lilie Persson Foto: Laura Zago/CBF
Com a pandemia de Covid-19 e as restrições internacionais de viagens, a seleção feminina de futebol do Brasil adotou uma nova estratégia para manter a preparação para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, que serão disputados de 23 de julho a 8 de agosto de 2021. Com os período de treinamentos, a comissão técnica tem a oportunidade de retomar as observações e estar mais próximo das atletas. Depois da convocação na Granja Comary, em setembro, com atletas que atuam no Brasil, a técnica Pia Sundhage optou por um período de atividades na Europa, unindo jogadoras do continente, além de Estados Unidos e China. As atividades acontecem em Portimão, Portugal, no período de Data Fifa, entre 19 a 27 de outubro.

CONTEÚDO ABERTO | Leia todos os conteúdos sobre coronavírus

Somando as duas etapas de treinamentos, Pia convocou 45 atletas. Em Portugal, a sueca conta com 21 jogadoras, após as desconvocações de Antonia, Andressa Alves e Bia Zaneratto por motivo de lesão. Para a auxiliar Lilie Persson, é importante estar de olho em novos nomes e aumentar a competição interna por uma vaga nas Olimpíadas.

"Os períodos de preparação ajudam muito, porque se você é como a Formiga, a mais velha, e como a Giovanna, a mais nova, elas podem competir juntas e isso é ótimo. Se a gente tiver um grande elenco com as jogadoras competindo entre elas será muito importante para a nossa preparação até as Olimpíadas. Então, o que temos é muito bom! E nós precisamos de opções, e também de jogadoras jovens, elas podem incentivar as mais velhas. Então, isso é muito bom", destaca.

Com base na Suécia, Lilie tem a tarefa de descobrir novas atletas que atuam na Europa. Desde que começou o trabalho na seleção feminina, a auxiliar tem pesquisado nos campeonatos europeus talentos brasileiros que possam vestir a Amarelinha. Nesta convocação, por exemplo, a meia Laís foi uma das novidades deste trabalho da sueca.

"Meu grande desafio é encontrar essas atletas, se não fosse o coronavírus, eu estaria viajando para vê-las. Na verdade, elas são muitas! Então, meu trabalho é encontrar essas jogadoras na Europa, aqui elas têm boas competições para se desenvolveram no mais alto nível ", destaca.

Apesar da impossibilidade de ter jogos internacionais, devido a pandemia de Covid-19, Lilie ressalta que o período focado apenas em treinos é um privilégio também para a comissão técnica, que tem a oportunidade de treinar a equipe e a identidade de jogo que Pia pede em campo.

"É claro que como uma treinadora de uma seleção você quer disputar jogos, isso é óbvio. Mas também é muito bom ter esses dois períodos de treinamentos com as jogadoras que atuam no Brasil e na Europa, China e Estados Unidos. Assim, podemos comparar essas jogadoras e ver várias atletas, porque se estivéssemos jogando não teríamos essas 40 atletas. Então esse é o grande desafio, e é ótimo ter essa oportunidade", conclui.


Receba notícias diretamente em seu e-mail! Clique aqui e inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.