Publicidade
Notícias | Região Seu problema também é nosso

Podres, postes de madeira caem com temporal na região

Quedas de estruturas se acentuaram nos últimos dias

Por BIANCA DILLY
Publicado em: 20.12.2018 às 11:28

Foto por: Helena Jacobsen/Especial
Descrição da foto: Rua Dona Vicentina, Caí
Como acontece com frequência, os temporais dos últimos dias derrubaram diversos postes de energia elétrica ou telefonia na região. Casos deste tipo foram registrados nas cidades de São Sebastião do Caí, Taquara e Novo Hamburgo, por exemplo, entre a última sexta-feira e a segunda-feira desta semana. Porém, o problema vai muito além da instabilidade no tempo. A comunidade destaca que grande parte dessas estruturas já estava em más condições mesmo antes da queda - postes inclinados, podres e deteriorados. Depois, quando a queda acontece, moradores reclamam dos transtornos da falta de luz e alertam para a possibilidade de acidentes.

Em São Sebastião do Caí, foram pelo menos quatro postes que ficaram pendurados apenas pela fiação na Rua Dona Vicentina, bairro Vila Conceição. "Eles eram de madeira, super velhos e vários tinham até um buraco na base, na parte da terra", explica a psicopedagoga Fátima Riachuelin, 40 anos. A moradora destaca que o problema já persiste há mais tempo. "São cerca de seis anos em que as pessoas estão pedindo para que eles sejam trocados e, agora, com o temporal, simplesmente caíram", relata.

De acordo com Fátima, ainda no último sábado uma equipe da companhia de energia realizou uma força-tarefa e conseguiu religar a luz. "Meus pais fizeram almoço e lanche para 14 homens, para que não parassem de trabalhar", diz. Contudo, na segunda-feira, caiu mais um poste e a rua ficou novamente toda sem energia.

O que dizem

RGE Sul

A RGE Sul informa que os dois postes inclinados na Rua Mossoró, no bairro Liberdade, foram substituídos ontem. Além disso, segundo a concessionária, o fornecimento de energia está normalizado na localidade de Moquém, às margens da RS-239. "A RGE e a RGE Sul fazem manutenção e investimentos permanentes na rede elétrica. A troca de postes está entre as principais obras", explica em nota. Nesse sentido, ainda frisa que essas ações obedecem ao Plano de Investimento e Manutenção das duas empresas. De acordo com a sua assessoria de imprensa, ambas trocam 80 mil postes por ano e destacam que este é o número possível, tendo em vista o tempo de execução das obras, desligamento da rede elétrica e fornecimento de materiais pelas empresas parceiras.

Oi

A empresa telefônica Oi informa que os postes pertencem à concessionária de energia. Em São Sebastião do Caí, a Oi acrescenta que está trabalhando no conserto dos cabos que são de sua responsabilidade.

Prefeitura de São Sebastião do Caí

Como os moradores de São Sebastião do Caí afirmaram que entraram em contato com a prefeitura, a equipe de reportagem do Jornal NH questionou de que forma ela pode interferir na ação. Entretanto, a administração municipal explica que a estrutura da rede elétrica, como postes, cabeamentos e ligações, é de responsabilidade da concessionária de energia, no caso, a RGE Sul. As reclamações que são recebidas pela prefeitura, acabam encaminhadas para a distribuidora. "Caso não sejam atendidos, com o número de protocolo aberto na empresa podem cobrá-la e tomar outras medidas, como encaminhar questão ao Judiciário", informa a prefeitura.

Condições precárias em Taquara

Situação parecida ocorre na localidade de Moquém, às margens da RS-239, em Taquara. Na extensão do local, a administradora Adriana Kappel, 39 anos, conta que são mais de 20 postes tombados ou tortos. "Falta manutenção nessas estruturas. A queda de energia não ocorreu pelo vento, mas por esse motivo. E vai seguir acontecendo se as condições continuarem assim, precárias", ressalta. A taquarense afirma que sua ponderação não é nem pela demora no restabelecimento. "Nós vemos que eles estão trabalhando agora, mas o problema é que pagamos uma taxa caríssima de energia e não vemos essa manutenção", sublinha.

Susto no bairro Liberdade

Foto por: Helena Jacobsen/Especial
Descrição da foto: Rua Mossoró, Liberdade
Já em Novo Hamburgo, a dona de casa Helena Jacobsen, 54 anos, se assustou com o que ocorreu depois do temporal da última sexta-feira na Rua Mossoró. "Cheguei e tinha dois postes caídos quase na frente do meu portão, que até ficou com alguns fios pendurados. A gente ficou com medo de que eles pudessem estar energizados. Foi bem tenso para abrir a garagem. Também havia um carro estacionado e um dos postes ficou escorado nele. Ainda bem que não tinha ninguém dentro", conta. Helena salienta que não notou como estava o estado das estruturas. Os postes de madeira foram trocados por outros, de concreto.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas
Botão de Assistente virtual