Publicidade
Notícias | Região No Rio Paranhana

Barragem das Laranjeiras segue interditada para estudos

Análise técnica deve apontar as condições de segurança da estrutura das Laranjeiras

Por Caroline Staudt
Publicado em: 25.10.2020 às 13:24 Última atualização: 25.10.2020 às 15:09

Barragem das Laranjeiras teve comportas abertas no sábado, dia 17 Foto: Divulgação/ Grupo CEEE
A manutenção preventiva da Barragem das Laranjeiras, entre Canela e Três Coroas, segue e sem prazo para conclusão definitiva. Na última semana, as comportas da estrutura foram abertas para que sejam feitos estudos para a conclusão de um laudo técnico. A partir dos resultados, será possível avaliar as condições de segurança da estrutura e definir as obras que deverão ser feitas. A expectativa é de que os estudos sejam concluídos nos próximos 60 dias, conforme informou a CEEE.

Em 2012, atos de vandalismo comprometeram a estrutura da barragem. A CEEE explica que o mecanismo de gerenciamento da comporta foi rompido, provocando a queda da estrutura. Desde então, o espaço ficou fechado, impossibilitando a vazão da água.

Ainda de acordo com a companhia, a estrutura não é segura e segue fechada para o acesso do público. Na entrada da barragem, uma construção antiga, destinada ao que seria uma casa de máquinas, apresenta uma abertura no piso, representando sérios riscos de queda para a parte exterior. A CEEE informou que há um vigia fazendo a segurança do local, garantindo que as pessoas não acessem o espaço.


Barragem construída nos anos de 1960

Desde 30 de agosto a CEEE realizava trabalhos no local. No dia 3 deste mês, a intervenção teve início. Sábado, dia 17, foi feita a abertura da comporta, onde foi necessário adaptar barras de aço com capacidade de içamento de 100 toneladas. A grande quantidade de lodo que estava no fundo do reservatório é resultado da falta de manutenção nas últimas décadas. A barragem das Laranjeiras foi construída nos anos de 1960 e estava desativada. A previsão da CEEE é de que, pelos menos nos próximos quatro meses, a estrutura permaneça vazia para os estudos e intervenções.

Entenda o caso

A abertura das comportas da Barragem das Laranjeiras, localizada no limite entre os municípios de Canela e Três Coroas, no dia 17, deixou um rastro de lodo nas águas do Rio Paranhana e peixes mortos nas margens. Cerca de 80% população de Três Coroas ainda foi afetada com a falta de água, já que a captação precisou ser suspensa no rio, em razão da sua turbidez.

A manutenção preventiva da estrutura da barragem precisou ser feita para que a Companhia Estadual de Geração e Transmissão de Energia Elétrica (CEEE-GT), que gerencia a estação, pudesse avaliar as condições estruturais das Laranjeiras.

 

 

Lodo chegou no Rio dos Sinos

Na sexta-feira, foi identificado um índice de turbidez em torno de quatro vezes maior do que o normal no Rio dos Sinos, em Novo Hamburgo. De acordo com a Comusa, a situação não representou nenhum problema no tratamento da água e não houve a suspensão da captação. Segundo a autarquia, a situação já foi normalizada desde ontem.


Quer receber notícias como esta e muitas outras diretamente em seu e-mail? Clique aqui e inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.