Publicidade
Notícias | Região Estradas

Veja quais rodovias da região estão no mapa dos investimentos do Estado

Governador Eduardo Leite anunciou ontem programa bilionário para as estradas, incluindo concessões

Por Joceline Silveira
Publicado em: 10.06.2021 às 03:00 Última atualização: 10.06.2021 às 07:11

Na R1, que abrange a região, a previsão de investimento é de R$ 143,19 milhões Foto: Adair Santos/GES-Especial
As rodovias estaduais que cortam o Vale do Sinos, do Caí e municípios do entorno receberão R$ 143,19 milhões em recursos do tesouro do Estado para obras de recuperação, melhorias de ligações regionais e acessos municipais. Os valores estão previstos no programa Avançar, anunciado nesta quarta-feira pelo governador Eduardo Leite. Segundo o Palácio Piratini, serão investidos R$ 5,2 bilhões em concessões de rodovias e obras, pelos próximos cinco anos.

Leite detalhou a divisão dos recursos. As concessões devem injetar R$ 3,9 bilhões em investimentos privados. Já as obras, com recursos públicos, contarão com aporte de R$ 1,3 bilhão até o fim de 2022.

"Com as contas em ordem, o Estado começa a ter mais fôlego. Marquem este dia, porque é um marco em que podemos escrever nossa história de uma forma diferente, para que o Rio Grande do Sul possa ser mais conhecido pelas soluções do que pelos problemas. Sempre fomos falados como sinônimo de crise e passamos a ser reconhecidos como um Estado que dá soluções para os problemas", disse o governador.Rodovia no projeto de investimento

Planejamento

Na íntegra, o plano inclui a conclusão de 28 acessos municipais e 20 ligações regionais, além da elaboração de 39 projetos executivos, do pagamento de 39 convênios em vigor em diferentes cidades do Estado e da recuperação e conservação de rodovias. "Em nove anos, a EGR (Empresa Gaúcha de Rodovia) conseguiu duplicar sete quilômetros de rodovias. Estamos projetando, em cinco anos, duplicar 40 vezes mais do que a EGR foi capaz de fazer", ressaltou Leite.

Para organizar o cronograma de investimentos e de execução dos trabalhos, o plano de obras se vale da divisão em nove regiões funcionais do Departamento Autônomo de Rodagem (Daer). A abrangência das regiões está detalhada com base nos Conselhos Regionais de Desenvolvimento (Coredes).

Obras na região

Na R1, que abrange 70 municípios das regiões Corede do Vale do Sinos, do Caí, Metropolitana do Delta do Jacuí, Centro-Sul, Paranhana e Encosta da Serra, a previsão de investimento é de R$ 143,19 milhões.

Além das recuperações, o programa Avançar também vai destinar recursos para a conclusão de estradas demandadas há anos por moradores da região. A RS-373, entre Santa Maria do Herval e Gramado, por exemplo, finalmente será concluída com o aporte de R$ 27,6 milhões. O anúncio foi comemorado pela prefeita Mara Stoffel. "São duas décadas de espera que finalmente chegarão ao fim. É uma maravilha para nosso município, pois isso representa fomento do turismo, geração de emprego, além de qualidade de vida", pontua Mara.

A verba será utilizada para concluir a pavimentação de 17,2 km - incluindo 10 km de estrada de chão batido- entre Boa vista do Herval até Serra Grande, em Gramado.

O trecho servirá como rota alternativa para quem se desloca da Região Metropolitana para a Serra, encurtando o trajeto em 22 km, em relação aos caminhos por Nova Petrópolis (BR-116) e por Taquara (RS-239 e RS-115). "Essa obra atende pedido antigo do trade turístico. A pavimentação dará mais competitividade ao setor. A nossa estimativa é que seja criado um novo corredor turístico", revela a prefeita, destacando que o município já articula investimentos para atrair turistas e empreendedores.

Reivindicação vai sair do papel

Entre os trechos contemplados pelo programa de estradas, está asfaltamento de estrada em Santa Maria do Herval, demanda de mais de duas décadas da região.

Trechos contemplados

O plano de obras prevê recursos para duas ligações regionais na R1, além da RS-373, com previsão de investimento total de R$ 99,59 milhões:

- Obras complementares da RS-118: 21,5 quilômetros de extensão, com valor previsto de R$ 54,3 milhões. O trecho deve ser concluído ainda em 2021.

- Viamão-Porto Alegre (bairro Lami), na RS-118: são 18,9 quilômetros, com previsão de investimento de R$ 17,6 milhões. A obra deve ser concluída em 2022.

O programa prevê ainda a recuperação de 527 quilômetros de estradas somente na região. Em Taquara, a RS-020 receberá R$ 2,170milhões para pavimentação do trecho de 50,92 km até Gravataí.

Já a ligação entre São Vendelino e Farroupilha será concluída com R$ 907.345 mil.

No pacote de obras ainda estão inclusas a RS- 452 (Bom Princípio), RS-411 (Maratá)e a RS-452 em Feliz.

O Estado ainda deve investir cerca de R$ 2,1 milhões no pagamento de convênios que estão ativos em dois municípios.

Em Dois Irmãos, a obra já está 60% concluída. Em Riozinho, porém, ainda é necessária a contratação do projeto executivo para viabilizar a obra de pavimentação da
RS-239.

Mais de 1,1 mil km de rodovias serão concedidos à iniciativa privada

No anúncio do plano de investimentos, nesta quarta-feira, o governador Eduardo Leite também confirmou a extinção da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR), que atualmente administra a maioria das estradas que fazem parte do pacote de concessões.

O encerramento das atividades da EGR ocorrerá quando as empresas vencedoras dos leilões que devem acontecer em dezembro assumirem os lotes das rodovias.

O projeto de concessões deve contemplar 1.131 km de estradas, que serão administradas por 30 anos pela iniciativa privada. O governo espera que, nos próximos cinco anos, 317 km sejam duplicados.

Funcionamento

As estradas serão divididas em três blocos. O primeiro é na Região Metropolitana de Porto Alegre e na Região das Hortênsias, na Serra. Entre elas, estão incluídas as rodovias RS-115, 118 e RS- 239.

O segundo lote é entre a Região dos Vales e o Norte do Estado. O terceiro bloco de rodovias compreende trechos entre a Região Metropolitana e a Serra, na região de Caxias do Sul.

O cronograma prevê consultas públicas lançadas até 18 de junho. Os leilões devem ocorrer até dezembro deste ano. Não houve detalhamento ainda sobre a localização exata das praças de pedágio nos trechos concedidos, nem sobre valores.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.