Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região MONTENEGRO

Região ganha primeiro banco de perucas para fortalecer autoestima de quem tem câncer

Espaço, que inaugura nesta quinta em Montenegro, vai oferecer peruca e tratamento capilar de forma gratuita a pacientes. Quem doa ganha corte e maquiagem

Por Joceline Silveira
Publicado em: 16.09.2021 às 03:00 Última atualização: 16.09.2021 às 11:16

Transformando Vidas. Este é o nome de um salão de beleza bastante diferente, onde os clientes não pagam um centavo para cortar os cabelos. Inaugurado nesta quinta-feira (16), em Montenegro, o espaço também funciona como banco de perucas - o primeiro da região, destinado a preservar e fortalecer a autoestima de pessoas com câncer. 

Localizado na sede da Secretaria de Habitação, Desenvolvimento Social e Cidadania (SMHAD) da cidade, o salão vai oferecer o acessório - e também almofadas pós-mastectomia - de forma gratuita a moradoras do Vale do Caí que passam por tratamento.

Corte de cabelo para fabricar perucas para mulheres com câncer
Corte de cabelo para fabricar perucas para mulheres com câncer Foto: Inezio Machado/GES

Por isso, quem quiser doar cabelo para fazer perucas ganha corte e maquiagem de graça. “Os cabelos doados pela comunidade serão encaminhados para a Aapecan produzir os apliques. Quando estiverem prontas, elas voltam a Montenegro para serem entregues para as mulheres que procurarem o Banco”, explica o secretário de Habitação, Desenvolvimento Social e Cidadania, Luis Fernando Ferreira.

O espaço será o primeiro mantido por voluntários e parceiros. A proposta, encampada pela SMHAD, foi sugerida pela Associação de Apoio a Pessoas com Câncer (Aapecan) Bento Gonçalves. Uma das 14 unidades da entidade que atua em todo o Estado.

 

Doação à irmã

A vida andava em ritmo acelerado. Em julho deste ano, porém, um diagnóstico inesperado fez tudo parar por alguns instantes. A partir de então, Maria Isabel Marques de Oliveira, de 55 anos, moradora de Montenegro, teria de unir forças para dar suporte à irmã na luta contra um câncer do colo do útero.

Imersa em sessões de quimioterapia com a caçula, Maria não se deixou abalar - queria transmitir força e segurança à irmã e garantir que elativesse convicção de que superaria o desafio.

Maria Isabel esteve no salão para doar 21 cm de cabelo
Maria Isabel esteve no salão para doar 21 cm de cabelo Foto: Inézio Machado/GES

Mas sabia que a vaidade era um ponto essencial para as mulheres da família, e se sentir bem consigo mesma traria mais confiança à irmã de 50 anos.

“Encarar a quimioterapia sem associar seus efeitos colaterais, como a queda de cabelo, é ainda mais complicado. Desde o princípio, sabíamos que isso aconteceria e que o uso da peruca seria uma consequência, mas ela foi categórica: não queria usar nada artificial", lembra.

À procura de uma peruca, a servidora pública deparou-se com preços exorbitantes - em se tratando de assessórios de boa qualidade, feitos com cabelo humano. Foi quando conheceu o projeto Transformando Vidas.

A primeira doação

Na terça-feira (14), antes da inauguração do espaço, a equipe da SMHAD recebeu a reportagem para detalhar como o serviço, gratuito, será oferecido às mulheres da região. Maria Isabel fez questão de ser a primeira “cliente” do Transformando Vidas.

Ao doar 21 centímetros de cabelo, ela garante que o prazer em ajudar as mulheres com câncer a motiva a continuar com o trabalho voluntário pelo resto da vida. "Fico feliz em fazer o bem para essas mulheres que precisam e eu sei que alguém fará o mesmo à minha irmã. O que são alguns centímetros de cabelo perto do bem que você pode fazer por outra pessoa?", questiona, emocionada.

Tudo pronto

A sala cor-de-rosa, localizada no segundo andar da Secretaria (Rua Apolinário de Moraes, 1.705) de poucos metros quadrados é toda customizada e equipada como um salão de beleza: possui uma prateleira onde ficam expostos os diversos modelos de perucas, tem bancada com espelho, cadeira como a dos salões de beleza tradicionais.

"Ela foi projetada para ser um salão de beleza e um espaço de acolhimento, por isso é todo mobiliado como um salão mesmo, para que as pacientes se sintam bem aqui dentro", explica a diretora de Políticas de Formação e Qualificação Profissional Cristiana Gomes.

Pelo menos uma vez por semana, um profissional atenderá as pessoas que quiserem doar.

“Firmamos parceria com uma escola profissionalizante e estamos buscando parcerias com salões de beleza da cidade para termos rotatividade de cabeleireiros dispostos a doar um pouco do seu tempo à iniciativa”, comenta, destacando que antes mesmo da inauguração oito pessoas já haviam se cadastrado para doar. 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.