Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região CRIME ORGANIZADO

Vale do Sinos vira referência nacional no golpe dos nudes

Região recebe operação da Polícia de São Paulo, que vê relação com delegacias clandestinas de Novo Hamburgo e facção Os Manos

Por Silvio Milani
Publicado em: 21.06.2022 às 19:27 Última atualização: 21.06.2022 às 19:31

O constrangedor golpe dos nudes volta a colocar o Vale do Sinos no mapa nacional do crime organizado. Nova operação contra o esquema foi feita na região, na manhã desta terça-feira (21), desta vez coordenada pela Polícia Civil de São Paulo. Ela cumpriu 11 mandados de busca, com apoio de agentes gaúchos, e viu que as duas falsas delegacias descobertas em abril em Novo Hamburgo, pela 1ª DP da cidade, têm relação com as encenações para pegar vítimas do Centro do País. Levantou ainda que a facção Os Manos pode estar por trás do esquema.

Região recebe operação da Polícia de São Paulo em ação contra o golpe dos nudes
Região recebe operação da Polícia de São Paulo em ação contra o golpe dos nudes Foto: Diego da Rosa/GES
Segundo o delegado paulista de Presidente Venceslau, Edmar Rogério Dias Caparroz, os principais alvos são uma moradora de Campo Bom de 25 anos e o marido, um preso de 35 anos. “Apuramos que esse casal encabeça o esquema criminoso.” Chegar ao endereço do homem não foi difícil, já que está recolhido em presídio de Charqueadas. O delegado prefere não revelar qual a casa de detenção para não prejudicar a investigação.

Sinal

Já a esposa do presidiário não foi encontrada na residência da Rua José de Anchieta, no bairro Imigrante, rastreada pela equipe de Caparroz como base do sinal de telefonia para contato com vítimas. No imóvel, que pegou fogo há cerca de seis meses, os policiais acordaram um homem, por volta das 6 horas. “Moro sozinho aqui, com meu cachorro, no quarto que os bombeiros conseguiram salvar”, explicou-se o suspeito. Ele afirma não conhecer a suposta líder do golpe.

Casa em Canudos abre nova frente de investigação

A batida em uma casa na Rua Bruno Werner Storck, bairro Canudos, em Novo Hamburgo, abriu novo caminho à já avançada investigação. Do sobrado protegido por muro de três metros de altura e câmeras, também foram feitos contatos com vítimas. No imóvel, moram a ex-mulher e filhos de criminoso da cúpula dos Manos, transferido em 2018 para a penitenciária de Mossoró, no Rio Grande do Norte. O quadrilheiro é apontado como um dos maiores traficantes gaúchos.

O delegado revela que um objeto encontrado na casa, mantido sob sigilo, está diretamente relacionado a uma das delegacias clandestinas estouradas há dois meses nas imediações. "Isso é maior do que gente pensava." A ex-mulher do traficante, conduzida à Central de Polícia de Novo Hamburgo para explicações, negou envolvimento no golpe. Foi liberada, mas entrou no rol de suspeitos.

 Casal foi preso com droga e delatou uma parente

Outra investigada pelos paulistas, moradora de Parobé, no Vale do Paranhana, foi presa com droga. Debaixo da cama, havia 32 pinos cheios de cocaína e pequenos tijolos de maconha. Ela e o companheiro foram autuados em flagrante por tráfico. O casal negou participação no golpe e apontou uma irmã da mulher como envolvida no esquema de extorsão. “Essa irmã, encontrada em outro endereço em Parobé, confessou integralmente”, comenta o delegado.

Flagrante de tráfico foi ao amanhecer em Parobé
Flagrante de tráfico foi ao amanhecer em Parobé Foto: Polícia Civil
Foram ainda apreendidos telefones celulares, comprovantes de depósitos bancários, cartões de crédito e notas fiscais de diversas mercadorias, entre outros documentos. “É um material que vamos analisar.” Ele frisa que a investida em solo gaúcho garantiu novas provas contra o grupo que vem aplicando a ‘sextorsão’ em vítimas do oeste de São Paulo.

Idoso acreditou que namorava menina e perdeu R$ 104 mil

“Em termos técnicos, temos todos os elementos sobre o envolvimento das pessoas investigadas”, frisa Caparroz. Segundo ele, foi feito um complexo rastreamento telemático para chegar aos criminosos, que conseguiram tirar R$ 104 mil de um aposentado de 68 anos de Presidente Venceslau, município paulista. 

“Obtivemos o bloqueio de bens de envolvidos exatamente nesse valor para ressarcir a vítima.” A extorsão, que começou em dezembro do ano passado, perdurou um mês.

O idoso foi seduzido nas redes sociais por imagens de uma jovem atraente, que o chamou para conversas no WhatsApp. Ele passou a praticar o chamado “sexo virtual” com a menina que ele acreditava ser real. Depois, apareceu um bandido se passando pelo pai, cobrando valores para tratamento médico da garota, que teria entrado em depressão.

Para completar a tortura psicológica, entraram em cena falsos policiais informando suicídio da jovem, que teria menos de 14 anos, e exigiram dinheiro para não prendê-lo por pedofilia. Tudo com réplicas de documentos e logotipos do Ministério Público e Polícia Civil gaúcha. Na sequência, outra fake trágica informada ao aposentado: a mãe da adolescente fictícia também tirou a vida por causa dele.

“Os criminosos chegaram a enviar imagens da menor lesionada e de uma delegacia de polícia cenográfica, confecção de um atestado de óbito da adolescente e de um mandado de prisão expedido em desfavor da vítima, tudo para dar maior credibilidade ao golpe”, detalha Caparroz.

Delegados destacam cooperação

Os paulistas deram o nome Pothos à operação, em alusão ao deus da paixão, anseio e desejo na mitologia grega. É um trabalho de cooperação com a 1ª DP de Novo Hamburgo. “Fizemos contato pelo bom trabalho aqui desenvolvido nessas delegacias cenográficas”, observa outro delegado de Presidente Venceslau, Ellisson Yukio Hasai.

O titular do órgão hamburguense, Tarcísio Kaltbach, ressalta a troca de informações. “A cooperação é essencial, considerando que também estamos com investigações em andamento.” A equipe de Tarcísio, por meio da Operação Teatro do Crime, descobriu uma réplica de gabinete policial em prédio na Rua Sapiranga, na tarde de 27 de abril, e outra na Rua José Aloísio Daudt, na manhã de 29 de abril. O ambiente, para simular registros de ocorrências e tomada de depoimentos, foi usado no golpe dos nudes em vários Estados.

Os 11 mandados

Campo Bom
Rua Campestre, bairro Mônaco
Rua Rosalina Fagundes, Zona Industrial Sul
Rua José de Anchieta, bairro Imigrante

Parobé
Rua José Mendes, bairro Planalto
Rua Arno Saft, bairro Guarani
Rua 21 de Abril, bairro Palmeiras

São Leopoldo
Duas casas na Rua Um, bairro Santos Dumont
Rua Cora Coralina, bairro Santos Dumont

Novo Hamburgo
Rua Bruno Werner Storck, bairro Canudos

Charqueadas
O presídio é mantido sob sigilo

Cooperação - As ordens judiciais, expedidas pela comarca de Presidente Venceslau (SP), foram cumpridas de forma simultânea nas cinco cidades gaúchas por dois delegados e seis agentes paulistas, com apoio de 42 policiais civis do Vale do Sinos.

 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.