Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Rio Grande do Sul TENTATIVA DE HOMICÍDIO QUALIFICADO

Jogador que agrediu árbitro em jogo da segunda divisão do Gauchão é denunciado pelo MP

Fato aconteceu em outubro durante partida de futebol realizada em Venâncio Aires, no Vale do Rio Pardo

Publicado em: 24.11.2021 às 20:29 Última atualização: 24.11.2021 às 20:58

O Ministério Público (MP) denunciou nesta quarta-feira (24) o ex-jogador, William Ribeiro, que agrediu o árbitro Rodrigo Crivellaro durante jogo da segunda divisão do Campeonato Gaúcho. O caso aconteceu em 4 de outubro em Venâncio Aires, na partida entre São Paulo-RS e Guarani-VA.

Momento em que o jogador dá um chute na cabeça do árbitro
Momento em que o jogador dá um chute na cabeça do árbitro Foto: Reprodução

A denúncia foi protocolada pelo promotor de Justiça Pedro Rui da Fontoura Porto. De acordo com o MP, William foi denunciado por tentativa de homicídio qualificado por motivo fútil. Na acusação, o promotor relata que o “denunciado desferiu um soco no rosto da vítima, árbitro da partida, fazendo com que ela caísse desfalecida ao gramado. Em seguida, chutou brutalmente a região posterior da cabeça do ofendido”.

Após a agressão, o juiz da partida foi atendido por equipe médica que estava no local e em seguida levado às pressas ao Hospital Sebastião Mártir, onde foi atendido, fez exames clínicos, ficou em observação e teve alta hospitalar no dia seguinte.

Na época, Willian foi suspenso por dois anos do futebol, a decisão foi da Primeira Comissão Disciplinar do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio Grande do Sul (TJD-RS). Além disso, teve o contrato rescindido com o São Paulo-RS e foi detido ainda no estádio, mas teve a liberdade provisória concedida no dia seguinte.

O promotor que fez a denúncia explica ainda que “ao desferir chute brutal na região posterior da cabeça, pelas costas, no momento em que o ofendido estava desfalecido no gramado, o denunciado, atleta profissional, não só criou como também assumiu o risco de produzir o resultado morte, que somente não se consumou por circunstâncias alheias, devido à pronta intervenção de outros atletas e autoridades e, notadamente, ao rápido e eficaz atendimento médico”. 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.