Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Rio Grande do Sul INDICADORES CRIMINAIS

Homicídios caem, mas número de feminicídios aumenta em mais de 20% no RS em 2021

Em relação a 2020, crime contra mulheres teve uma alta de 21% no último ano

Publicado em: 13.01.2022 às 17:39 Última atualização: 13.01.2022 às 17:48

Apesar do número de homicídios ocorridos no Rio Grande do Sul em 2021 ter diminuído quase 14% em comparação com o ano anterior, os registros de feminicídios no Estado tiveram uma alta de mais de 20% no mesmo período. 

Os dados são do balanço de indicadores criminais do Estado de 2021, divulgados nesta quinta-feira (13), pelo vice-governador e também secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior, na praça central de Alvorada. O governador Eduardo Leite, que testou positivo para Covid-19 nesta semana, participou do momento por videoconferência.

Em relação a 2020, crime contra mulheres teve uma alta de 21% no último ano
Em relação a 2020, crime contra mulheres teve uma alta de 21% no último ano Foto: Grégori Bertó/Ascom SSP
O número de mulheres assassinadas por motivo de gênero passou de 80, em 2020, para 97 no ano passado, uma alta de 21%. Entre as 97 mulheres mortas por razão de gênero no RS em 2021, apenas 10 tinham medida protetiva de urgência (MPU).

Nos demais indicadores de violência contra a mulher monitorados pela Secretaria de Segurança Pública - como ameaças, lesões corporais, estupros e tentativas de feminicídio -, o cenário geral terminou em queda, conforme aponta o governo estadual.

Já o número de assassinatos caiu, entre 2020 e 2021, de 1.811 para 1.561, o que significou com uma retração de 13,8%. Dos 250 homicídios a menos, a pasta destaca que 159 foram reduzidos no conjunto dos 23 municípios atendidos pelo Programa RS Seguro. Foi o terceiro ano seguido em que o Rio Grande do Sul teve recorde na redução de homicídios, com a menor taxa de vítimas para cada 100 mil habitantes desde 2010.

De acordo com o levantamento dos indicadores criminais do último ano, cerca de 80% dos homicídios do Estado estão relacionados a disputas entre organizações criminosas, em especial às ligadas ao tráfico de drogas.

Outros crimes

Os roubos seguidos de morte também tiveram redução no ano passado na comparação com 2020. Em uma queda de 13%, o número de casos passou de 69 para 60, o menor total desde que teve início a série de contabilização em 2002. No entanto, no mês de dezembro o número de latrocínios no Estado subiu de cinco em 2020 para oito em 2021. Dos oito casos do último mês, seis já estão com autoria identificada e resultaram na prisão de 12 suspeitos.

Já os registros de furtos e roubos a estabelecimentos bancários foram de 40 em 2021. Com isso, o Estado terminou o ano com oito casos a menos que no ano anterior, uma queda de 16,7%. Quanto aos roubos a transporte coletivo, foram de 1.391 registros em 2020 para 1.150 casos em 2021, com redução de 17,3%. Assim, os números de ataques a banco e os números de roubos a transporte coletivo - que inclui delitos contra passageiros e motoristas - atingiram o menor total desde o início de suas séries históricas, ambas iniciadas em 2012.

Por sua vez, o total de ocorrências de roubos de veículos, caiu 37,4% na comparação com 2020, de 7.886 para 4.935 - o que significa uma redução de 2.951 roubos. Entre as municípios gaúchos, Porto Alegre foi quem teve a maior retração deste tipo de crime. O número de roubos de veículos na capital baixou de 3.343 em 2020 para 1.906 em 2021 - uma queda de 43%.

Em relação ao crime de abigeato, característico do meio rural, em 2021 houve o menor número de casos registrados no período de um ano desde o início da contabilização, em 2012. Foram 5.199 registros em 2021, 2% menos que os 5.306 do ano anterior.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.