Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Rio Grande do Sul CRIME EM GUAÍBA

Seis são presos em operação contra quadrilha responsável por roubo a carro-forte

55 mandados de busca e apreensão são cumpridos nesta quarta-feira; crime ocorreu em um supermercado de Guaíba

Por Redação
Publicado em: 25.05.2022 às 08:31 Última atualização: 25.05.2022 às 08:46

Seis pessoas foram presas e 55 mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em Porto Alegre, Capão da Canoa, Bento Gonçalves, São Gabriel, Getúlio Vargas e São Paulo (SP). As ações fazem parte da Operação Pavão, deflagrada na manhã desta quarta-feira (25), que tem como objetivo combater a quadrilha responsável pelo roubo a carro-forte ocorrido no dia 29 de dezembro de 2021 em um supermercado de Guaíba.

Na ocasião, os suspeitos entraram no supermercado portando fuzis e pistolas, utilizando roupas táticas de uso das forças de segurança pública, em especial com identificação da Polícia Civil, e tripulando uma viatura caracterizada com insígnia da Polícia Civil do RS. Eles abordaram os vigilantes e roubaram R$ 4,3 milhões dos cofres do carro-forte.

Conforme a Polícia, um dos veículos apresentou problemas técnicos e foi abandonado pelos suspeitos. No seu interior, havia parte do dinheiro roubado. A quadrilha dirigiu-se até Porto Alegre, onde dois suspeitos foram presos em flagrante e outros dois mortos após confronto com a Brigada Militar.

Na capital foram localizados coletes balísticos, revólveres, fuzil, carregadores e munições de calibres diversos e uma série de equipamentos e vestimentas táticas. No decorrer da investigação, foram identificados os responsáveis pela aquisição dos vestuários e do armamento usado pelos autores do roubo. Os mais de 4 milhões foram recuperados pela Polícia.

Presos

Um dos presos na operação foi identificado como o líder da organização criminosa. De acordo com a Polícia, ele é suspeito de executar funções de comando no dia da ação. Outros dois presos participaram efetivamente do roubo, dirigindo os veículos usados no dia. Os demais presos tiveram suas tarefas divididas entre: dar informações privilegiadas acerca do funcionamento da empresa e fornecer armamento e materiais táticos análogos ao utilizado pela Polícia Civil.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.