Publicidade
Botão de Assistente virtual
Opinião Opinião

Redes que pegam crianças

Por Marcos Schmidt
Publicado em: 12.10.2021 às 03:00

O Facebook prejudica as crianças e enfraquece a democracia, disse uma ex-gerente da empresa no Senado dos EUA. São várias acusações contra a rede social mais usada no mundo que, segundo a denunciante, usa estratégias para aumentar seus lucros que causam danos à saúde mental de crianças e adolescentes e agride questões éticas.

A Internet mudou muito a nossa vida, para o bem e para o mal. O problema é que estas "redes" são predatórias, igual a pescaria que usa malha fina e pega peixes grandes e pequenos. E daí é preciso concordar que as redes sociais fazem mal às crianças, elas que já nascem com o celular na mão. Mas, isto é assunto para os entendidos da mente. Vejo outro problema, e que foi denunciado por Jesus.

O Salvador certa vez disse que seria melhor jogar no mar com uma pedra amarrada no pescoço a pessoa que prejudica um pequenino. O termo grego "micron" pode ser alguém pequeno em idade ou em conhecimento. Jesus está falando das influências que levam uma pessoa indefesa a se afastar da fé cristã, e por isto suas palavras radicais. Afinal, o prejuízo é eterno. Em outra ocasião, Jesus ficou indignado com os discípulos que mandaram as crianças saírem perto dele porque estavam incomodando. "Deixem que as crianças venham a mim", protestou o Senhor.

E quando a mente das crianças é moldada pelas influências dos adultos, a Bíblia não deixa dúvidas: "Eduque a criança no caminho em que deve andar e até o fim da vida não se desviará dele" (Provérbios 22.6). Mas, daí tanta coisa "mal-educada" nas mãos de gente grande. 


O artigo publicado neste espaço é opinião pessoal e de inteira responsabilidade de seu autor. Por razões de clareza ou espaço poderão ser publicados resumidamente. Artigos podem ser enviados para opiniao@gruposinos.com.br
Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.